3 erros mortais que você deve evitar na criação do seu infoproduto

abril 13, 2014
Leandro Lima

Criar um infoproduto não é uma tarefa fácil. Com tantas opções disponíveis na internet, é preciso encontrar formas de destacar o seu para que as vendas sejam satisfatórias. E uma das melhores formas de se fazer isso é planejar a criação.

O bom planejamento de um infoproduto evita que erros graves sejam cometidas – erros esses que podem significar o fracasso nas vendas. Então, antes de começar a trabalhar no seu infoproduto, reserve um tempo para planejá-lo. Analise seu público-alvo, a comunicação, nível de qualidade, preço e canais de distribuição. Você encontrará algumas respostas que te ajudarão não apenas na criação do infoproduto, mas em todo o processo até a venda para o cliente.

Nos parágrafos abaixo nos aprofundaremos nesse planejamento apontando três erros mortais que você deve evitar na criação do seu infoproduto. Acompanhe.

1. Não pensar no cliente

O maior erro de qualquer produtor de infoproduto é não pensar no seu cliente no momento de elaborar seu conteúdo. Esse erro é cometido principalmente por produtores mais inexperientes, que acreditam conhecer o suficiente do seu mercado e do seu cliente e que, por isso, não precisam buscar mais informações. Ao cometer esse erro é provável que você crie um infoproduto sem demanda de clientes. Ou seja, ainda que a qualidade seja boa, você terá dificuldades para vendê-lo.

Para evitar esse erro faça uma profunda pesquisa sobre o seu público-alvo. Descubra suas preferências, seu comportamento de compra e como consomem conteúdo, dentre outros fatores. Com esses dados crie um infoproduto que terá não apenas conteúdo, mas linguagem e comunicação de venda condizentes com a realidade do seu cliente.

2. Não prezar pela qualidade

Criar um infoproduto demanda tempo. Alguns podem ser tão elaborados que exigirão meses de trabalho do seu criador. O problema é que, muitas vezes, por necessidade de colocá-lo à venda rapidamente, muitos produtores atropelam o cronograma e lançam um infoproduto sem prezar pela qualidade do mesmo.

Este erro é tão mortal que pode não apenas acabar com o infoproduto que está sendo vendido, mas com toda a sua reputação. Quando se vende algo de qualidade duvidosa, seu cliente fica insatisfeito e repassa isso para seus amigos. O efeito desse “boca a boca” pode ser desastroso para suas ambições com o produto.

Para evitar esse erro organize uma agenda de publicações que permita a você criar conteúdo, revisá-lo, melhorá-lo e só depois fazer a publicação.

3. Ser muito caro. Ou muito barato

A construção do preço é um aspecto importante no seu infoproduto e que pode ser determinante para o sucesso do mesmo. Muitos produtores lançam suas criações achando que estão cobrando pouco pelo seu trabalho, desvalorizando-o. A verdade é que tanto um preço baixo quanto um preço alto podem prejudicar suas vendas.

Quando o preço é muito alto, seu desafio é transmitir o valor do infoproduto aos clientes. Sua conversão será pequena e o volume de vendas não trará bons lucros. Por outro lado, se você publicar algo muito barato estará dizendo ao seu cliente que a qualidade do infoproduto não é alta. O segredo, nesta situação, é descobrir um número entre o barato e caro que represente o real valor do seu infoproduto, mas que também seja atrativo aos seus clientes.

Encontrar esse valor pode ser um exercício de teste que demandará tempo até você acertar, mas que certamente será facilitado se você evitar os outros erros: conhecer seu cliente e prezar pela qualidade.

Você conhece algum outro erro e gostaria de complementar nossa lista? Deixe sua opinião nos comentários abaixo.

5 Comments. Leave new

Felipe Trombini
3 de junho de 2014 16:59

Está correto. Construir um Infoproduto requer habilidade e bom censo.
Não é só juntar umas dicas e cobrar caro.

Depois da venda ainda vem o pós venda, o atendimento, tem que manter o conteúdo fresco.
Não é tão simples assim, e por isso quem se denominar infoprodutor deve ter isso e mente sempre.

Responder
Gustavo Oliveira
12 de julho de 2014 17:08

Ótimas dicas, parabéns pelo artigo!!!

Outra erro que eu adicionaria, que pode até parecer óbvio demais, mas ainda tem gente que peca nesse detalhe, que é a originalidade, principalmente a questão de não cometer plágio, se a pessoa vai escrever um E-Book, precisa ter certo grau de conhecimento sobre aquele assunto, baseado em sua vivência, cursos que tenha feito, pesquisas realizadas na vida real ou na internet… A pessoa até pode pegar um texto ou citação de outro autor, mas nesse caso é bom (muito bom, na verdade) que se coloque a referência, dizendo quem falou aquilo e onde está (página do livro ou link do site/blog) e pode conter outras informações também, dependendo da fonte, como ano de publicação, editora, etc… Mas simplesmente fazer CTRL+C e CTRL+V descaradamente não é nada elegante, tanto para com o autor original do texto como para os consumidores. Se você quer que seu E-Book seja reconhecido, é bom prezar pela qualidade do conteúdo – como já foi dito acima – e pela originalidade também!

Responder

A verdade é que poucos empreendedores pensam dessa forma e apenas se preocupam com a sua comissão no final da venda e mais nada.

Os clientes têm de ser respeitados e temos de lhes forneçer o melhor conteúdo possível, afinal é mesmo por isso que ele compra o curso, para encontrar material que lhe interesse e principalmente de qualidade.

Cumprimentos,
Jorge Silva

Responder

Ole1 Mirko,Acredito que todos estes sejam nichos alntmetae rente1veis, e como o Bruno citou, novelas, seriados e beleza tambe9m e9 um f3timo tema, no entanto neste nicho a concorreancia e9 muito desleal. Concorrer com a Globo.com, IG, Terra, UOL, R7, entre outros, e9 covardia. Acredito que nichos que envolvam questf5es relativas e0 emagrecimento e exercedcios extra-acadeamia se3o uma f3tima ope7e3o para monetizae7e3o, je1 que ainda ne3o tem tanta concorreancia capacitada no mercado (pelo menos eu ne3o conhee7o muitos sites/blogs bons neste ramo).Abrae7o!Robson Ribeiro postado recentemente..

Responder

Excente artigo, para criar um infoproduto requer muito alem de habilidade, requer também a imaginação e o conhecimento.

Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *